headerphoto

Quem Somos

Jornal da Constituinte N. 15, 7-13.9.1987

O Instituto Brasileiro de Estudos Monrquicos do Rio Grande do Sul foi fundado em 20 de agosto de 1985, inspirado em seu congnere carioca, o IBEM Joo Camillo de Oliveira Torres e motivado pelo propsito de influenciar a Assemblia Nacional Constituinte que viria a ser convocada pela Emenda n 26 Constituio Federal de 1967.

Nosso objetivo inicial era o de impedir que, a exemplo das cartas republicanas anteriores, a futura Constituio contivesse a clusula ptrea que proibia a discusso da forma republicana de governo e, conseqentemente, a possibilidade da instaurao democrtica do Parlamentarismo Monrquico no Brasil. Nessa jornada, mostrou-se decisiva a participao do Deputado Cunha Bueno (SP), 4 Secretrio da Mesa da Cmara dos Deputados. Graas ao seu dinamismo, foi possvel ir muito alm da simples extino da clusula que manteve os monarquistas fora da lei desde 1891; tirando partido da possibilidade de apresentao de emendas populares, prevista pelo art. 24 do Regimento Interno da Assemblia Nacional Constituinte, o IBEM-RS foi s ruas e ajudou a coletar 44.632 assinaturas em apoio emenda popular n 051, a qual convocaria um plebiscito para escolher o regime de governo adequado para o Brasil, entre repblica presidencial, repblica parlamentar ou monarquia parlamentar. Derrotado o parlamentarismo, o Deputado Cunha Bueno habilmente articulou o apoio dos constituintes parlamentaristas emenda popular, a qual resultou includa no art. 2 do Ato das Disposies Constitucionais Transitrias, convocando o plebiscito para o dia 7 de setembro de 1993.

O aodamento dos parlamentaristas republicanos levou promulgo da emenda constitucional n 2/92, antecipando o plebiscito para o dia 21 de abril de 1993 e prejudicando o debate com a sociedade brasileira. Sob a liderana do Deputado Cunha Bueno, o IBEM-RS colaborou com o Movimento Parlamentarista Monrquico (MPM), participando de inmeros debates e organizando a campanha monarquista em todo o Rio Grande do Sul. Esclarecido ou no, o povo brasileiro democraticamente decidiu pela manuteno da malfadada repblica presidencialista, honrando-nos com 12% dos sufrgios. Respeitoso manifestao soberana da vontade popular, o IBEM-RS recolheu-se aos estudos monrquicos, compartilhando da sincera esperana da nao brasileira em dias melhores. Aps dez anos de silncio e frustrao com os rumos de um pas que continua no sendo me gentil para a maior parte dos filhos deste solo, o IBEM-RS volta ativa, fiel defesa de um regime democrtico, monrquico, parlamentar e federativo como desenho institucional mais adequado para que o Brasil assuma o lugar que lhe cabe no concerto das naes.

O IBEM-RS v nos descendentes do Imperador D. Pedro II os depositrios de uma tradio de soberania, independncia, tolerncia e democracia que fez do Brasil um pas respeitado mundialmente no sculo XIX; espera de todos esses prncipes e princesas que se mostrem altura dessa herana, por seus atos e opinies; e considera que o Trono do Brasil pertence ao povo, cabendo aos seus representantes no Parlamento o reconhecimento do prncipe ou princesa em cuja pessoa ser instaurada a monarquia em nosso pas.

O IBEM-RS permanece, como sempre, pronto a colaborar em conjunto com as demais entidades monrquicas brasileiras em prol de nossa causa comum, sabedor de que a instaurao da monarquia no cair do cu: se no vier do trabalho paciente e dedicado dos que, como ns, acreditam na excelncia do parlamentarismo monrquico, no vir de lugar algum. Portanto, mos obra!


Twitter IBEMRS


Saiba quanto estamos pagando para custear a República, essa Nova República (1985 - ...), legítima continuadora do golpe de 15.11.1889!

Abrir